quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Matrículas online na rede estadual provoca divergência entre pais e diretores

Este ano começa a ser marcado por mudanças na rotina das escolas no Rio Grande do Norte, não só por causa da antecipação do calendário escolar, mas também pela implementação do Sistema Integrado de Gestão da Educação (Sigeduc), que possibilita aos alunos realizarem matrícula na rede estadual de ensino através da internet. No entanto, a mudança na forma de realizar as matrículas gerou desentendimentos entre pais e diretorias de escolas. 

A dona de casa Maria das Dores diz ter enfrentado dificuldades para matricular o filho através do Sigeduc.
"A gente passou a semana toda tentando utilizar o sistema e estava fora do ar. Quando conseguimos, apareceu um aviso dizendo que era só uma pré-inscrição, aí tivemos que ir à escola ontem pra poder fazer a matrícula. Se era pra fazer pela internet, por que a gente ainda teve que ir à escola?", disse Maria das Dores.
A assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (Seec) afirma que já era esperado que o sistema gerasse estranheza, já que o Sigeduc ainda está passando por um período de testes. Ele explica que a matrícula é feita por fases, na primeira, a pré-matrícula é feita pela internet, depois há a confirmação e em seguida é preciso que os pais de novos alunos vão às escolas para entregar a documentação necessária.

"O sistema provoca uma mudança grandiosa na rede de ensino. Primeiro vai evitar que pais passem a noite em filas para poder matricular os filhos nas escolas. Agora é possível fazê-la de casa. Mas vai muito além disso, desde o acompanhamento do aluno, até portal de transparência das escolas, tudo ficará disponível no Sigeduc. É revolucionário", afirmou a Seec.

Outra queixa da dona de casa quanto ao sistema é a impossibilidade de escolher o horário para o filho estudar. "Queria matricular meu filho de manhã pra ele poder fazer um curso à tarde. Mas na escola fui informada que não poderia escolher o turno por que isso quem faria seria o sistema automaticamente. Além de que a gente não escolhe nem a escola onde vai matricular nossos filhos. Um absurdo", declarou Maria das Dores.

De acordo com a Seec, grande parte dos problemas que as pessoas relatam é por falta de entendimento mesmo. 

"As pessoas precisam entender que o Sigeduc realiza as matrículas de acordo com os três critérios da Lei de Diretrizes e Bases (LDB). Que são a proximidade da residência do aluno à instituição de ensino, se ele já possui irmão matriculado e se está na idade média para a sua turma. Mas a maioria das escolas não tem precisado utilizar estes critérios porque o número de vagas ofertadas tem sido suficientes para o número de inscrições. Apenas escolas mais concorridas e com baixo número de vagas utilizam os critérios da LDB para realizar o cadastro de alunos".

*Informações Jornal O Mossoroense


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Petrus Estúdio - Projetado por: Pedro Júnior