quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Governo do Estado decide cortar ponto dos professores em greve

A Secretaria Estadual de Educação (Seec) decidiu ontem cortar o ponto dos grevistas do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN). Em nota oficial na tarde do primeiro dia de paralisações dos educadores, a Seec criticou os grevistas e afirmou não haver motivos para a suspensão das atividades.

A Secretaria citou ainda algumas reivindicações da categoria atendidas pelo governo, como o reajuste de 8,32% para professores ativos e inativos, a alteração do porte das escolas e a concessão de uma letra a todos os professores (a chamada "promoção horizontal"), e, questiona caráter político das atitudes do Sinte.
Coordenador do Sinte, Rômulo Arnaud afirma que o governo está tentando desmoralizar a categoria e ferindo um direito constitucional dos trabalhadores, o direito à greve. 

"É um absurdo. O governo querer acabar com a greve através de ameaças. Isto é um desserviço à educação do Estado. O discurso usado de que nossas atividades têm fins políticos é ridículo. Fizemos a maior greve da história do Rio Grande do Norte em 2011, ano em que não houve eleição alguma. A categoria não faz greve olhando o calendário eleitoral, fazemos quando é preciso", disse. 

Rômulo Arnaud destaca que, se necessário, a categoria irá recorrer à intervenção federal e até mesmo a órgãos internacionais, como a Organização dos Estados Americanos (OEA), para pressionar o Governo a cumprir os acordos firmados em 2013.

"Na greve passada, o governo entrou com pedido de ilegalidade contra a categoria, pedido que foi negado porque a Justiça entende que a greve é um direito do trabalhador e que nós estamos lutando por uma educação de qualidade", disse o coordenador, que reafirma o convite à população para que se integre ao movimento grevista.

*Informação do Jornal O Mossoroense


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Petrus Estúdio - Projetado por: Pedro Júnior