segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Advogada continua detida em Pau dos Ferros

O inquérito que investiga o assassinato do advogado Lafaiete Dantas Júnior, terá mais 20 dias para ser concluído. A prorrogação do prazo foi solicitada pelo delegado, Inácio Rodrigues,  que ainda não ouviu a principal suspeita do crime, a advogada Cleidimar de Oliveira Dantas, mulher da vítima, que ainda não recebeu alta do hospital, onde está internada. 

Este novo prazo foi concedido pelo Juiz Rivaldo Pereira Neto, que, com parecer favorável do Ministério Público, ampliou por mais 20 dias, até que a vítima seja ouvida e todos os detalhes da investigação tenham condições de ser apurados.

O juiz, dentro da sua decisão, aponta que existem indícios que podem apontar para “um homicídio qualificado por motivação torpe, especificamente, vingança, com a devida premeditação”, afirma o magistrado em sua decisão. Isso de acordo com o relato de uma testemunha que afirma a existência de uma crise pela qual passava o casal, evidenciando a não aceitação do término da união conjugal por parte de Cleidimar e o estabelecimento de outro relacionamento afetivo de Lafaiete Dantas.

O advogado que representa a também advogada Cleidimar Dantas, solicitou a Justiça o direito da suposta autora do crime, de ir para prisão preventiva em regime domiciliar, porém, foi negado pelo juiz.

Ao finalizar a sua decisão, o Juiz Rivaldo Pereira Neto, determinou a Direção do Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade, a formação de uma junta médica, para que esta possa emitir um parecer quanto ao estado de saúde da Advogada e sobre a possibilidade de ser ouvida pela autoridade policial.

Esta decisão foi formulada na tarde de ontem e os respectivos interessados já foram notificados.

Fonte: Blog do JP

*Matéria retirada do Site do Jornal Gazeta do Oeste


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Petrus Estúdio - Projetado por: Pedro Júnior