terça-feira, 8 de outubro de 2013

O Rio Grande do Norte apresentou 20.518 casos notificados como suspeitos de dengue, desde o início deste ano até o último dia 21 de setembro

O Rio Grande do Norte apresentou 20.518 casos notificados como suspeitos de dengue, desde o início deste ano até o último dia 21 de setembro. O levantamento aponta uma queda de 38,72%, em comparação ao mesmo período de 2012, quando foram registradas 33.482 notificações da doença. 

Os números foram divulgados ontem pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), através do Programa Estadual de Controle da Dengue. Os dados são referentes à Semana Epidemiológica nº 38.
Nesse período, foram confirmados 7.495 casos de dengue no Rio Grande Norte, número que, no mesmo período do ano passado, correspondeu a 12.737, o que representa um decréscimo de 41,16%.

Do total de municípios do RN, 97 apresentam alta incidência da doença, 25 estão com média, 40 com baixa e 5 com incidência silenciosa. Os cinco municípios que apresentam as maiores notificações de casos suspeitos são: Natal (3.225), Parnamirim (1.605), Santa Cruz (1.374), Pau dos Ferros (1.284), e Caicó (1.118).

O Programa Estadual de Controle da Dengue, dentro de sua estratégia de prevenção e vigilância epidemiológica, reforça junto à população e gestores de saúde alguns cuidados básicos diante da doença: eliminar os criadouros do mosquito Aedes aegypti, não jogar lixo em terrenos baldios, evitar recipientes que acumulem água e limpar periodicamente as caixas d'água, deixando-as tampadas.

A técnica responsável pelo Programa, Sílvia Dinara Alves, destaca a importância da continuidade desses cuidados mesmo no período de estiagem, que costuma iniciar neste mês, quando as condições favoráveis à proliferação do mosquito tendem a amenizar. Além disso, a técnica informa que vem promovendo reuniões bem como um trabalho de supervisão junto aos municípios e, para tentar bloquear a transmissão da dengue, o Programa já realizou neste ano operações de UBV (carro-fumacê), em 34 municípios do RN, como Parnamirim, Santa Cruz e Pau dos Ferros.

Prevenção é a melhor maneira de evitar a doença

A ação mais simples para prevenção da dengue é evitar o nascimento do mosquito Aedes aegypti, uma vez que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação. Para isso, é preciso eliminar os lugares que os mosquitos escolhem para a reprodução.

De acordo com especialistas, a regra básica para evitar a proliferação do mosquito é não deixar a água, principalmente limpa, parada em qualquer tipo de recipiente.

É importante manter recipientes, como caixas d'água, barris, tambores tanques e cisternas devidamente fechados. E não deixar água parada em locais como: vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores, além de outros locais em que a água da chuva é coletada ou armazenada.

*Informações do Jornal O Mossoroense


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Petrus Estúdio - Projetado por: Pedro Júnior