quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Jornal O Mossoroense completa 141 anos de história e informação

Velho na idade, jovem nas ideias. Hoje, o jornal O Mossoroense completa 141 anos de história e informação, mantendo a vitalidade, energia e espírito crítico que marcaram a sua fundação, em 17 de outubro de 1872, por Jeremias da Rocha Nogueira. Tendo a verdade como seu principal compromisso, o terceiro periódico mais antigo do Brasil ainda em circulação nasceu como semanário de quatro páginas, como uma resposta ao acirramento político entre liberais e conservadores que existia na cidade.

A eleição de 7 de setembro de 1872 foi o estopim da guerra que fez surgir, em 17 de outubro seguinte, o jornal O Mossoroense. O pleito era para a escolha de vereadores e juízes de paz. Após a votação, o padre Antônio Joaquim Rodrigues, líder dos conservadores, levou as urnas para serem apuradas no interior da igreja. Capangas armados de porrete e punhal posicionados nas portas do templo impediram a entrada de adversários. 

As máquinas e o material tipográfico da primeira fase do O Mossoroense foram comprados em Recife. A linha adotada pelo jornal, que tinha também como redatores José Damião de Souza Mello, um dos chefes liberais, e Ricardo Vieira do Couto, refletia não apenas o pensamento liberal ou as características da época, era a marca do espírito combativo de Jeremias da Rocha Nogueira. 

O encerramento da primeira fase se deu por problemas financeiros que obrigaram Jeremias a vender o prelo principal ao coronel Antônio Soares Macedo, para impressão de O Brado Conservador, em Assú. O restante dos equipamentos gráficos, com a morte de Jeremias, em 1881, foi enterrado por José Damião no quintal de sua casa, na antiga Rua das Flores, hoje Bezerra Mendes, e resgatado cerca de 30 anos depois.
A partir da década de 1970, o jornal começou a investir em equipamentos mais modernos, adquirindo a Marinoni, máquina que revolucionou o processo de impressão na época. Logo depois veio o computador gráfico, em seguida o sistema de fotomecânica e finalmente os computadores a laser.

Ao longo de 141 anos, O Mossoroense enfrentou muitos obstáculos. Teve que fechar suas portas em diferentes momentos, como em 1984, fato esse lamentado até mesmo pelo jornal O Estado de S. Paulo, em sua edição do dia 6 de maio daquele ano. A reabertura do periódico aconteceu em 1985, quando o médico Laíre Rosado Filho, diretor-presidente desde então, recebeu as ações do primo Rosado Cantídio e fez com que, após a enchente daquele ano, O Mossoroense voltasse a circular, desta vez dirigido por Eder Andrade de Medeiros, que permaneceu na função até 1987. 

"O jornal O Mossoroense representa para a cidade sua página diária. É através desse periódico que a cidade conta a sua história. Todos os grandes feitos dos últimos 141 anos estão registrados através do jornal fundado por Jeremias da Rocha Nogueira, que, apesar de tudo, continua com vigor, caracterizando-se como uma verdadeira escola de jornalismo, por onde passaram grandes nomes. Importante destacar que o acervo do jornal está disponível para pesquisa no Museu Histórico Lauro da Escóssia", declara o historiador Geraldo Maia.

O Mossoroense sempre foi e continua sendo modelo para os demais. Foi a partir do centenário , na década de 1980, que surgiu a primeira coluna voltada para o público teen, denominada "Pão com Cocada". Pelo periódico, passaram colunistas como Diran Amaral, Rafael Negreiros e Gomes Filho, entre muitos outros. Hoje, o jornal mantém em sua equipe nomes como Cid Augusto, diretor de redação; Márcio Costa, editor-chefe; Emery Costa, colaborador; Adriana Morais, editora de cotidiano; Sérgio Oliveira, editor de esportes; Bruno Barreto, editor de política; Paulo Walter, editor de polícia; e Luciano Lellys, fotógrafo que há 26 anos registra as imagens presentes nas páginas do jornal.

"O jornal, para mim, é mais do que um local de trabalho, é uma verdadeira família. Através do jornal, consegui meu reconhecimento profissional, ocupando novos espaços, com fotos publicadas em uma revista na Espanha, por exemplo", aponta Luciano Lellys.
O Mossoroense na era virtual
Em 24 de agosto de 1999, O Mossoroense deu um importante passo na sua trajetória, com a inauguração de sua página na Internet, possibilitando a leitura diária de suas notícias em várias partes do mundo.
Hoje, o site do jornal, que estreou seu novo formato em janeiro deste ano, registra mais de 35 mil acessos diários, contabilizados por Pageviews, sendo um dos sites mais acessados do Estado em sua categoria. O jornal é o único do Rio Grande do Norte que mantém parceria com o Universo On Line (Uol), o maior portal de notícias do país. 

As versões eletrônica e impressa do jornal O Mossoroense se complementam para oferecer notícias e opiniões de qualidade, com o objetivo de atender ao mais exigente leitor.

Em sua nova versão, o portal adotou a rotatividade das manchetes principais do dia, possibilitando maior dinamicidade e informação ao leitor. Além disso, ainda na página principal, o leitor encontra o link de acesso às colunas sociais e de opinião, às charges, ao Caderno Universo, aos cadernos especiais, às últimas notícias, às mais lidas e às edições anteriores. Tudo isso na sessão variedades. O jornal on-line ainda disponibiliza enquetes semanais sobre temas da atualidade, possibilitando maior interatividade com o leitor.
*Jornal O Mossoroense


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Petrus Estúdio - Projetado por: Pedro Júnior