terça-feira, 26 de março de 2013

Pesquisa indica que salário pago aos professores da rede pública é baixo


Pesquisa realizada pelo Instituto Metas junto às secretarias de educação das 26 unidades da Federação brasileiras e sindicatos indica que alguns estados do país não pagam a remuneração estabelecida pela Lei do Piso Salarial do Magistério Público. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN), a rede estadual de ensino tem cumprido com o valor a ser pago determinado pelo Ministério da Educação.

O coordenador-geral do Sinte, Rômulo Arnaud, destaca que no município e regiões vizinhas o salário pago aos professores ainda é muito baixo, além disso, a carga horária destinada a atividades extraclasse não é cumprida.

"O sindicato de Mossoró abrange cerca de 70 municípios, e o que verificamos é que ainda são encontradas dificuldades para implementação do piso em alguns locais. O mesmo acontece com a carga horária destinada a atividades extraclasses, como, por exemplo, elaboração e correção de provas, planejamento de aulas, que não tem sido cumprido. Os profissionais, por receberem baixos salários, precisam ter mais de dois empregos, e acabam sobrecarregados", destaca Arnaud.

A assessoria da 12ª Diretoria Regional de Educação, Cultura e Desporto (Dired) de Mossoró informou que no município o piso salarial pago aos profissionais da rede estadual está dentro do que foi previsto por lei. No entanto, diferentemente de outras regiões, em vez de cumprirem 40h/semanais, os professores trabalham 30h/semanais.

Segundo a pesquisa, as redes estaduais e municipais do RN pagam uma média salarial de R$ 1.361. A média da remuneração paga pela rede estadual é de R$ 1.387, enquanto que na rede municipal esse valor cai para R$ 1.347. De acordo com o Ministério da Educação, o salário dos professores do ensino básico da rede pública deveria ser de R$ 1.451.

Em relação à ampliação do tempo destinado à jornada extraclasse, o assunto vem sendo alvo de negociações entre os sindicatos de professores e as secretarias estaduais de educação.
Indicativo de greve será discutido hoje em Natal
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte se reúne hoje, 26, em Natal com os profissionais da rede estadual de ensino para discutir o indicativo de greve. O encontro será realizado às 9h, na Escola Estadual Winston Churchill.

Segundo o coordenador-geral do Sinte, Rômulo Arnaud, um dos principais pontos de reivindicação da classe é a reformulação do Plano de Carreira do Magistério. 

"A pauta de reivindicações dos trabalhadores consiste em 31 pontos, muitos destes não tiveram avanços em negociações realizadas anteriormente com o governo. Desta forma,continuamos esperando a reformulação do Plano de Carreira do Magistério e o pagamento do Plano de Carreira dos Funcionários da Educação. Ainda faltam 70% para implantação total", explicou Rômulo.

O coordenador complementa dizendo que na última audiência a secretaria se comprometeu em formar uma comissão para estudar o Plano de Carreira do Magistério e elaborar um projeto para reformulação. Porém, até o presente momento nenhuma medida foi tomada a respeito. 

Nos dias 13 e 14 a categoria realizou parada de advertência em defesa da educação pública e dos planos de carreira para chamar a atenção da sociedade e do Governo do Estado. De acordo com o sindicato, em resposta à medida, as escolas estaduais receberam ofício informando que os professores que pararam suas atividades em função da mobilização, terão que pagar essas aulas.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Petrus Estúdio - Projetado por: Pedro Júnior