terça-feira, 4 de setembro de 2012

Campanha contra turismo homossexual em Pernambuco gera revolta em redes sociais

homossexualismo” e diz que tem, como objetivo, “divulgar, preservar e defender os princípios cristãos, éticos e dos bons costumes”. Na campanha, lançada neste domingo (2), o Fórum compara o homossexualismo com práticas como pedofilia, exploração sexual de menores e prostituição. A polêmica tornou-se pública após a divulgação de um anúncio com o cartaz da campanha na edição desta segunda-feira (3) do jornal "Folha de Pernambuco". Na internet, o periódico também passou a ser alvo de críticas de militantes dos diretos humanos.

Na explicação da campanha, o movimento diz que “ataca de frente a exploração do turismo sexual no nosso estado. Nesta campanha, a organização se manifesta abertamente contra comportamentos e atitudes anticristãs como a pedofilia, a prostituição, a exploração sexual de menores e a proliferação do homossexualismo.”

As páginas da Internet e do Facebook não fazem menção sobre quem são os responsáveis pelo Fórum. Diz apenas que o “Movimento Javé Nossa Justiça é um movimento formado por cristãos, aberto a todos que professam a fé em Jesus Cristo.”

A campanha, intitulada “Pernambuco não te quer”, é inspirada em uma outra campanha, oficial da prefeitura da capital pernambucana, chamada “O Recife te quer”, que tenta atrair turistas para o Estado.

A campanha do movimento contra a homossexualidade foi postada no Facebook no último domingo (2) e gerou uma série de críticas nas redes sociais. Nesta terça-feira (4), mais de 400 comentários já haviam sido feitos na postagem do cartaz da campanha, pedindo também a retirada do ar do conteúdo.

“Pernambuco não te quer, homofóbicos Crime se qualifica como homofobia, Exploração sexual de menores, Pedofilia, Turismo Sexual, consideramos justo toda forma de amor”, afirmou o usuário Henrique Campos.
“Seus nazistas! Vão pagar caro por colocar homossexualismo no meio disso! Serão denunciados, espero que vão todos pra cadeia com seu falso moralismo!”, disse Mauro Brazbear.

O post também gerou denúncias formais contra a página. "Denunciado. Coloquei como discurso ou ódio e tem cara de ser sim, um ódio a nós, homossexuais, e não fizemos nada, isso só se resume a uma palavra: preconceito", opinou Lucas Emanuel.

Além da campanha, o grupo também apresenta defesa de outros pontos considerados anticristãos, como o aborto. O Fórum ainda “alerta a população para a escolha de seus candidatos, sugerindo que cada cidadão procure conhecer o que pensa e como age seu escolhido em relação ao aborto, ao turismo sexual, e outros temas contra os valores cristãos.”

Na seção de downloads do site, por exemplo, há um link para um arquivo apontando que “Homossexualismo é Doença e tem Cura.” O arquivo com a “prova” trata-se da “Classificação de doenças do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais”, que --segundo o grupo-- definiria como “transtorno de identidade de gênero.”

A reportagem do UOL enviou um e-mail e uma mensagem pelo Facebook ao suposto responsável pelo “Fórum Permanente Pernambucano Pró Vida”, o reverendo Márcio Borba, mas até o momento não obteve resposta.



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Petrus Estúdio - Projetado por: Pedro Júnior