sábado, 11 de agosto de 2012

Sinpol recomenda ao governo que decrete calamidade pública na segurança


O Sindicato da Polícia Civil e Segurança Pública (Sinpol) se reuniu ontem com o juiz da 12ª Vara de Execuções Penais, Henrique Baltazar, para discutir soluções dos problemas na segurança pública do Estado. Na ocasião, a diretoria do sindicato sugeriu que, devido à falta de cronogramas para as obras e recursos para as unidades prisionais do RN, uma solução seria o governo decretar estado de calamidade pública no sistema prisional.

De acordo com a assessoria do Sinpol, a medida recomendada é para que possa fazer os investimentos que sejam necessários urgentemente, como a construção de mais unidades prisionais e contratação de servidores. O juiz considerou a ideia válida e ficou de levá-la ao conhecimento da governadora.


O juiz, além de ouvir os sindicalistas, sobre a situação da Polícia Civil, e solicitar sugestões para o problema de superlotação do sistema penitenciário, que afeta diretamente as delegacias, informou sobre as ações que está empreendendo, assim como suas estratégias para tentar provocar o Governo do Estado a adotar soluções definitivas para os problemas.


Ainda de acordo com o Sinpol, o juiz disse que visitará novamente a Cadeia Pública Raimundo Nonato Fernandes e estabelecerá prazos para que o Governo adote medidas. Não havendo providências, poderá tomar medidas semelhantes à feita na Penitenciária de Alcaçuz. Baltazar falou ainda que outros colegas, do interior, também já cogitam decidir por interdições de presídios, como é o caso de Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros.


O Sinpol informou ao juiz que a Polícia Civil não irá se prestar ao papel ilegal da custódia dos presos em Natal, e que a luta prossegue para retirar definitivamente os detentos que ainda restam nas delegacias do interior.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Petrus Estúdio - Projetado por: Pedro Júnior